Informativos Exposição terá Treinamento Rural de Suporte Básico de Vida

Exposição terá Treinamento Rural de Suporte Básico de Vida

A Exposição de Londrina, promovida pela Sociedade Rural do Paraná, de 7 a 17 de abril, terá uma boa novidade, na área da saúde, para quem mora na zona rural.

A Exposição de Londrina, promovida pela Sociedade Rural do Paraná, de 7 a 17 de abril, terá uma boa novidade, na área da saúde, para quem mora na zona rural. É o I Treinamento Rural de Suporte Básico de Vida, que visa sensibilizar e treinar a população que mora no meio rural nos primeiros socorros em vítimas de ataque cardíaco, derrame cerebral e parada cardiorespiratória.

O treinamento será realizado no dia 12, das 9 às 12 horas, no Recinto de Leilões (na pista central de julgamento). A promoção é da Sociedade Paranaense de Cardiologia e da Sociedade Rural, com apoio da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico do HU (HUTEC), Colegiado do Curso de Medicina da UEL, Associação Médica de Londrina e Hospital do Coração.

Segundo o coordenador da atividade, professor e plantonista do HU, cardiologista Manoel Canesin, trata-se de primeiro evento do gênero no Brasil.

Canesin produziu o seguinte texto, explicando o porquê da realização do treinamento: "No Brasil a doença cardiovascular é a principal causa de morte, em torno de 1 milhão pessoas morrem ao ano, sendo o infarto do miocárdio (ataque cardíaco) quase 300 mil mortes e a parada cardiorespiratória (morte súbita) 200 mil mortes, as principais causas de morte. Em torno de 95% destas pessoas que apresentam uma parada cardiorespiratória morrem antes de chegar ao hospital. Temos uma parada cardiorespiratória a cada 2 minutos em média no país e a maioria destes eventos não são nem ao menos reconhecidos. Estas vítimas de doenças cardiovasculares na maioria das vezes têm seu reconhecimento e início de atendimento de forma errônea, aumentando a morbidade e mortalidade do infarto do miocárdio (ataque cardíaco), parada cardíaca (morte súbita) e acidente vascular cerebral (derrame).

As maiores distâncias, carências e dificuldades de nosso país em saúde estão no meio rural, onde o tempo é vida e uma questão primordial na chegada do atendimento. As principais emergências médicas devem ter seu tratamento iniciado pela primeira testemunha que presencia o evento. A cada 1 minuto passado a chance de sobrevivência diminuiu 10% em uma parada cardiorespiraória assim com também é muito importante no início do tratamento do ataque cardíaco e do derrame. Estes socorros iniciais são de fácil aprendizado e são decisivos no salvamento da vítima, entretanto, na maior parte das vezes esta testemunha não está preparada para prestar os primeiros socorros, sendo isto mais agravado no meio rural.

Inexiste no país uma política pública de combate e prevenção a emergências médicas voltada para leigos, já que o alto custo e a falta de adoção de critérios que possam tornar esta política eficaz, ainda persistem. Em que pese à complexidade do problema no meio rural, ainda não foram adotadas medidas simples que permitiriam reverter as altas taxas de mortalidade e morbidade de morte súbita e doenças cardiovasculares neste meio.

O I Treinamento Rural de Suporte Básico de Vida que será realizado no Brasil visa capacitar profissionais do meio rural como peões, serviçais do campo e agropecuaristas e preparar esta população para reconhecer os sinais de infarto do miocárdio (ataque cardíaco), acidente vascular cerebral (derrame) e parada cardiorespiratória (morte súbita) assim como iniciar o tratamento através da compressão torácica até a chegada da ajuda médica.

Ações que possam sensibilizar e treinar o leigo na prevenção primária e secundária das emergências médicas e ainda possam ser multiplicadoras, são necessárias para que possamos atingir melhores resultados nos atendimentos de emergência médica no Brasil, principalmente no meio rural quando as distâncias são grandes. É de fundamental importância que se realize a conexão deste elo perdido do treinamento e sensibilização da população leiga no meio rural, esta ligação com o SAMU e consequentemente com a rede hospitalar ajudará a salvar milhares de vidas".